Dos conselhos que eu gostaria de ter me dado

Se eu pudesse voltar no tempo, gostaria de ter a oportunidade de sentar com a minha versão dez anos mais jovem para tomar um café e conversar. Hoje, aos 24 anos, vejo a vida de um jeito completamente diferente de como via há dez. E, provavelmente, aos 34, vou ver a vida de um jeito completamente diferente de como vejo hoje. Sendo assim, eis o que eu diria para a Nicolle de 14 anos:

Mães têm razão: Sim, você vai precisar de um casaco. Aquela “amiga” realmente não era boa companhia para você. Você não precisa fazer uma mecha loira no cabelo – e provavelmente vai se arrepender de tê-la feito no futuro. E se envolver com aquele cara mais velho de fato não era uma boa ideia.

ebf26e008a5d02556faff01082a24418

Não importa sua idade… Você sempre precisa da sua mãe…

Não tente mudar as pessoas: As pessoas são o que são, não vale a pena tentar mudá-las. Quanto antes aceitarmos isso, melhor. Irá te poupar muito tempo e desgaste emocional. Simplesmente acostume-se com a ideia de que somos diferentes e que a maioria  das pessoas procura ser a melhor versão de si mesmo. O tempo irá se encarregar do resto.

87fd34d965fdeb1553769a38ac1e0dad

Um dos momentos mais felizes da vida é quando você encontra coragem para desistir do que não pode mudar

Passe mais tempo com a família: Aos catorze anos, perdi uma tia de quem gostava muito e, desde então, penso em todas as vezes que preferi fazer outra coisa a aproveitar sua companhia – se ao menos eu soubesse o quão pouco essa convivência ia durar. Quando a gente perde alguém muito querido, todo o tempo que passamos juntos simplesmente não parece o suficiente, e só hoje eu sei o quanto eu sinto falta do tempo que nós não passamos juntas.

fce54bca1410f1eddb895a07a93448c2

Regras da família: sempre diga a verdade, se esforce, mantenha suas promessas, tente coisas novas, não reclame, ria alto, sempre diga “eu te amo”, use palavras gentis, faça o seu melhor, seja grato, seja gentil, tenha orgulho de si mesmo, diga “por favor” e “obrigada”, lembre-se de que você é amado

Valorize os verdadeiros amigos: Amizades vêm e vão, as coisas são assim mesmo. Mas é necessário muito esforço para manter aquelas que realmente importam. E, mesmo assim, algumas vezes a gente não consegue. Por isso, é importante valorizar os verdadeiros amigos, porque mantê-los dá trabalho, mas vale a pena.

83218652bf9cdd06cd43d08ed37a7a21

Verdeiros grandes amigos são difíceis de achar, difíceis de abandonar e impossíveis de esquecer

Não crie tantas expectativas: Algumas pessoas vão te decepcionar, você vai decepcionar algumas pessoas e isso acontece. Alguns sonhos irão se realizar, outros não. E isso não é o fim do mundo. É importante saber lidar com suas expectativas e estar preparada para o que realmente acontece na vida.

5ac94042f133547e96505dbc41a14a6b

Pare de se apegar ao passado: Sim, seria maravilhoso se nós pudéssemos simplesmente esquecer alguns dos erros dos quais nos arrependemos. Mas, infelizmente, isso não é possível. Em vez de sucumbir ao arrependimento, o melhor é desapegar e entender que aprendemos errando. E nossos arrependimentos servem para nos lembrar da pessoa que não queremos ser.

747d88851f5d4248eb8b845dc8fbf823

Só porque seu passado não foi como você gostaria, não significa que seu futuro não possa ser melhor do que você imaginava

Divirta-se: sofra menos, como dizem, as coisas passam e nem tudo merece um rio de lágrimas. Pare de sentir inveja dos outros, tente se apegar às coisas boas da vida, comece a contar suas bençãos e lembre-se de sorrir sempre. Um sorriso é sempre o melhor remédio.

574678e0f1cc54a9b5026f24fa3295f5

Divirta-se. Sorria. E continue retocando o batom.

Ame e seja amado: Esse é o conselho principal. Estar apaixonada te faz querer ser uma pessoa melhor, e ser correspondida nesse sentimento é uma sensação maravilhosa.

56f130a222f9fb623c228a488002434c

A melhor coisa que você pode aprender é amar e ser amado

Anúncios

Final de semana festivo!

Esse final de semana foi de festa para a família Azevedo.

A filha de uma grande amiga da minha mãe completou quinze anos e comemorou com uma festa de debutante. Eu sei que tem gente que acha muito brega… Eu mesma não era muito fã da comemoração, mas, depois de fazer a minha (sete anos atrás!), mudei completamente de ideia.

É um dia em que a menina se sente literalmente uma princesa!

Nós, então, fomos prestigiar…

Minha mãe foi homenageada pela debutante, a Rafaela (que, aliás, estava linda!), por ter ajudado a realizar a festa.

Além de ter feito o cabelo e a maquiagem da recepção e da troca de roupa à meia noite, ela também fez as lembrancinhas e uma série de outras coisas usadas na decoração da festa.

BTW, por falar em decoração… Ainda nessa semana quero postar os detalhes da festa.

Ah, e também vou postar detalhes do make e do cabelo que fizFicou babado!

Meu namorado achou que eu fiquei leeeeenda… E não para de me fotografar! Hahaha…

Infelizmente as fotos não ficaram muito boas, mas dá para ver como esse vestido é lindo né?

Minha prima trouxe pra mim de Londres e é de uma marca chamada Atmosphere, mas não sei se vende no Brasil. O sapato é aquele babadeiro da Zara, que postei aqui. O brinco é aquele de franjas da 25 de março e também coloquei um mix de anéis, entre eles o que ganhei de formatura no dia da colação de grau.

Colação de Grau

Apesar de ter terminado a faculdade, eu não vou fazer festa de formatura. Então, coloquei todas as minhas expectativas na colação de grau. Uma semana antes eu só falava sobre isso (até fiz post aqui sobre os tipos de vestidos que eu acho adequados para a ocasião), e, no dia, eu era a ansiedade em pessoa.

O evento ia acontecer às 17h, mas eu tinha que estar lá às 16h. Trabalhei até às 14h e fui correndo para casa me arrumar… Por sorte, já sabia o que ia vestir e consegui chegar na hora.

Passado um pequeno stress porque todo mundo da minha família se atrasou e eu tive que deixar minha bolsa com um completo estranho minutos antes de entrar na fila para a reunião dos alunos no palco, relaxei e aproveitei o momento. Confesso que não achei que fosse me emocionar tanto!

Claro que teve toda aquela parte chata de oradores desnecessários e falatório sem fim. Mas, enfim chegou a tão esperada hora de receber o diploma, abraçar a Denise Paiero, que foi paraninfa da turma, minha orientadora de TGI (Trabalho de Graduação Interdisciplinar) e é uma das mulheres mais inteligentes e inspiradoras que eu conheço, e fazer o juramento. Muita emoção! Depois disso, capelos para o alto e comemoração… ACAABOU!

Minha mãe (sempre ela!) me surpreendeu e me deu o presente mais lindo que eu poderia receber: o anel de formatura.

Mas, o que importou de verdade é que todo mundo que é mesmo especial para mim estava lá:

Minha família e meu namorado, que torceram por mim e me apoiaram em cada passo do caminho.

E minhas melhores amigas desde o primeiro dia de aula: Isabeli Zucheli e Nubia Neves. Foi com elas que eu passei esse quatro anos de faculdade e foi em grande parte por causa delas que eles valeram a pena.

Nós fizemos trabalhos, demos risadas, brigamos, nos desentendemos, saímos, bebemos, estudamos, comemoramos aniversários… Passamos por começos e términos de namoros, nos apoiamos e aconselhamos.

Muito diferentes uma das outras, nós de alguma forma conseguimos fazer essa amizade dar certo. Ainda bem porque eu não sei o que seria de mim sem elas…

Mas é claro que elas não foram as únicas amigas que fiz nesses anos… Tem mais gente especial.

Usei um cocktail dress simples, mas bem bonito, que ganhei de presente de uma tia. Então, não sei de onde é, mas achei perfeito para a ocasião. Ele é estampado, com corte mais tradicional no corpo e saia tulipa, que eu adoro. Fiz uma maquiagem com ênfase nos olhos e, no começo do evento fiquei de cabelos soltos, mas depois senti calor e prendi em um coque.

Em resumo, foi um dos dias mais felizes e importantes da minha vida. Estava realizando um sonho cercada de pessoas que amo e me sentindo muito completa. Foi demais!

Ei, tô formada!

Aconteceu ontem a banca do meu TGI. Na segunda-feira, eu estava um poço de ansiedade: andava em círculos pela casa e comia quase tudo o que via pela frente. Terça-feira de manhã, acordei antes do relógio despertar (#fail) e fui para a faculdade com um nervoso crescente. Ao chegar lá, encontrei minhas colegas de grupo e alguns amigos de classe, o que me fez ficar momentâneamente mais calma, mas depois de um perrenguezinho para encontrar uma lembrancinha para a nossa orientadora (um beijo, Denise!), todo o nervoso já tinha voltado com força total.

Resumindo, entramos na sala cinco minutos antes de a banca começar… Eu suava em bicas! Minha família estava lá, assim como alguns amigos… Então, foi neles que pensei quando levantei e deixei o nervoso de lado para iniciar a apresentação. Foi demais! Temos que agradecer muito às componentes da banca (professoras Ana Luiza e Lenize Villaça) pelas considerações pertinentes e colocações construtivas… No fim de tudo, a redenção: todo esse esforço valeu a pena, estamos formadas, com média 10!

Denise com as suas orientandas nota dez (há, tô me achando!) no fim da apresentação… Deu tudo certo!

O trabalho que é literalmente um sonho realizado: relatório e revista Nina.

Nós todas reunidas, agora colegas de profissão. Um momento muito especial!

Mãe, a responsável por eu ter consquitado tudo isso, e pai orgulhoso, hehe… Até choraram!

O namorado mais paciente do Universo! Me apoiou e escutou em todos os momentos… Amo você!

Georgia: minha prima, irmã e capa da revista e seu marido (Charlinhos!), meu primo agregado mais querido!

Amigos são para essas coisas, certo? Principalmente se um deles te conhece há treze anos! Os dois saíram de Jundiaí para ir me ver… Junior e Thi, vocês são demais!

Eni e Marlene, amigas da minha mãe que a viram grávida, e que me acompanham desde pequenininha, me apoiando sempre que possível.

As flores mais lindas que já ganhei na vida!

Nem acredito que acabou! Estou formada. Sou uma jornalista diplomada. Sinto que preciso me beliscar para ter certeza de que isso está mesmo acontecendo. Foram quatro anos de faculdade sem pagar um centavo de mensalidade (graças a uma bolsa do ProUni), uma benção muito grande! Este é o começo da minha vida… Tem muuuito mais por vir, se Deus quiser!

9ª sinfonia de Beethoven na Sala São Paulo

Mais um passeio familiar por aqui, mas dessa vez com gostinho especial. Fomos à Sala São Paulo para ver e ouvir a 9ª sinfonia de Beethoven, com o Charles Keiti no coro. Me diz como não morrer de orgulho?? Para quem não sabe, essa foi a última sinfonia completa composta por Beethoven e é considerada uma de suas grandes obras-primas. Não tenho como explicar o sentimento de assitir aquilo… Foi a coisa mais linda de se ver! Muito, mas muito emocionante mesmo.

Depois do concerto, encerramos a noite num jantar no Lellis, com direito a brinde em homenagem ao cantor e tudo

Foi uma noite maravilhosa, ao lado de pessoas tão especiais! Não existe nada melhor do que estar na companhia de gente que se ama. Vestir-se bem, ouvir boa música, comer boa comida e conversar a noite inteira… Sensacional!

Jantar de família

Já que o último post também foi sobre gastronomia e família, decidi finalmente postar as fotos do jantar que eu e minha prima oferecemos lá em casa para nossos namorados (no caso dela, marido) e para a minha mãe. Compramos todos os ingredientes naquele dia em que fomos ao centro e depois colocamos a mão na massa. O resultado foi uma noite maravilhosa ao lado das pessoas que amamos muitoAlém de uma comida deliciosa! Dá só uma olhada:

Como entradas, fizemos duas opções de salada. O prato principal era peixe ao molho de camarão acompanhado de arroz branco. E como opção para que não comia peixe, preparamos frango na cerveja com ervilhas. De última hora minha mãe resolveu improvisar uma farofa para acompanhar que ficou uma delícia! E a sobremesa foi um caso de amor: pêra ao vinho com sorvete de creme e chantillyDelícia!

Os presentes neste dia eram exatamente os mesmo daquele passeio na Liberdade… Ô familinha que gosta de comer bem!

Sushi, sashimi e… missoshiru?

Num destes domingos de sol escaldante, eu e minha família resolvemos passear na Liberdade. A ideia inicial era dar uma volta entre as barracas de comida típica e esticar pela feirinha… Mas quem disse que a gente conseguiu? Foi simplesmente impossível tamanho era o calor que fazia naquele dia. Sendo assim, aproveitamos que estávamos acompanhados do expert em culinária oriental, Charles Keiti Myiazakique, ao contrário do que se imagina pelas fotos tem, sim, descendência japonesa! – e fomos num restaurante que ele conhecia ali perto: o Yamaga.

Foi a melhor coisa que poderia ter acontecido, sem brincadeira. Que delícia de lugar! A comida era tão maravilhosa que até a minha mãe se rendeu, e olha que eu achava que essa era uma tarefa impossível de se realizar. Ela até comeu de hashi, direitinho, sem fazer feio nem uma vez. Está certo que o prato que ela pediu era todo cozido, mas mesmo assim é uma vitória! Já eu que não sou boba nem nada aproveitei a oportunidade para me jogar nos hossomakis…

E aqui preciso fazer uma menção honrosa ao missoshiru mais gostoso da cidade (e que eu esqueci de fotografar!) que me foi apresentado pela minha prima, Georgia Myiazakiessa, sim, sem nenhuma decendência oriental como se pode perceber. Confesso que não sou a maior fã de missoshiru da mundo: acho insosso e a consistência do tofu nunca me agrada, mas esse me fez repensar meus conceitos. Simplesmente delicioso!